Gli ostacoli del cuore

08 . 10 . 2008

primeiro poema de John Lyons para Anna Chiara

07 . 10 . 2008

Anna Chiara

You do not speak my language,

not yet at least.

But your eyes

-dark pools of liquid light-

are big and beautiful.

Were I to compare your eyes

to any precious stone

or any

distant stars

that shed their light

on a summer’s evening,

I would,

as a poet,

be failing you, failing

their beauty.

Some things in life

are true and pointless.

Not you,

nor your innocence,

nor your beauty. You are

who and what you are, and

you are the joy of love

unconfined.

Your tiny hands reach out

as you ask for your drink,

your pert mouth agape,

milk teeth

barely piercing your bony gums.

First steps,

first teeth,

first words:

this is the so-called learning curve

of infancy.

But it is not that simple.

Are parents the first teachers

of their children,

or is it the reverse?

Of love you have nothing to learn

and everything

to teach. There is

love in the first laughter,

the first smile, the first games,

and you will remind us

as you call

to your mother and father that love

is the first and only reason for words.

If beauty is truth -and these are only words-

the love that illuminates

your fresh young skin

will remain everlasting,

and that purest of loves

which makes us

ageless, timeless will

be manifest every day of your life

from here and to eternity.

**27 December 2000**

Poetry über alles

07 . 10 . 2008

John Lyons, poeta irlandês e um grande amigo, escreveu esta obra-prima em forma de poema, depois de ver uma foto de minha filha, Chiara, no aniversário de meu pai (ontem). Não bastando essa homenagem, John Hemingway, neto de Ernest Hemingway e um grande escritor ele também, postou o poema em seu blog.

Hoje é um dia de sol. Mesmo nublado, mesmo chovendo. It’s sunny inside.

Chiara on her grandfather’s birthday

Beauty has its own melody
speaks with honesty
and spontaneity
has a clear eye
for what is good,
for what is better
for what is best
in human nature;
beauty loves the truth,
always,
and swears
by the power of love;
beauty
glows under the skin
and sets the lips
alight with a smile;
beauty is that child
on the road
to adolescent innocence,
never bored with
clumsy perfections,
never eager
to find fault but
content to stretch
the moment shared
into infinity;
beauty is the authentic
kiss of life, number
personified, intuitive
peace lived beyond
the wildest stretch
of the imagination.

7-10-2008

John Lyons

Parabéns, Pai

06 . 10 . 2008

06/06/08


“…Meu pai, como vai?
Diga a ele que não se aborreça comigo

Quando me vir beijar outro homem qualquer
Diga a ele que eu quando beijo um amigo

Estou certo de ser alguém como ele é
Alguém com sua força pra me proteger

Alguém com seu carinho pra me confortar
Alguém com olhos e coração bem abertos
Pra me compreender…”


(Gilberto Gil – Pai e Mãe)

mais de baudelaire

03 . 10 . 2008

Um Hemisfério numa Cabeleira

Me deixe respirar, por longo, longo tempo, o cheiro de seus cabelos, neles mergulhar todo o meu rosto, como um homem sedento na água de uma fonte, e agitá-los com minha mão como a um lenço cheiroso, para sacudir lembranças no ar.
Se você pudesse saber tudo o que vejo! Tudo o que sinto! Tudo o que ouço em seus cabelos! Minha alma viaja por sobre o perfume como a alma dos outros homens por sobre a música.
Seus cabelos contêm todo um sonho, repleto de velas e mastros; contêm grandes mares, cujas monções me levam a encantadoras regiões, onde o espaço é mais azul e mais profundo, onde a atmosfera é perfumada pelas frutas, pelas folhas e pela pele humana.
No oceano de sua cabeleira, entrevejo um ponto fervilhando de cantos melancólicos, homens vigorosos de todas as nações e navios de todas as formas, recortando suas arquiteturas finas e complicadas num céu imenso, onde se estira o eterno calor.
Nas carícias de sua cabeleira, reencontro os langores de longas horas passadas num sofá, no quarto de um belo navio, embaladas pela arfagem imperceptível do porto, entre os vasos de flores e as moringas refrescantes.
Na ardente lareira de sua cabeleira, respiro o cheiro do fumo mesclado de ópio e açúcar; na noite de sua cabeleira, vejo refulgir o infinito do azul tropical; nas margens de penugem da sua cabeleira, me embriago com os cheiros combinados do alcatrão, do almíscar e do óleo de coco.
Me deixe morder, por longo tempo, suas tranças pesadas e negras. Quando mordisco seus cabelos elásticos e rebeldes, me parece estar comendo lembranças.

Noturna

29 . 09 . 2008

Afogada no sol que parte
A licorosa distância me parte
Em duas, e três e quatro,
E às cinco da tarde já sou seis.
*
E é submersa que me deito, entreaberta, e o veio d´água já fragmentado em dois e três e quatro é o rio que me corre entre as pernas, pra longe do porto.
*
Horas antes, os navios ali; os navios sumindo, horizontes.
Uma reserva d´água salgada ainda na boca que não diz.

Os benefícios da lua

19 . 09 . 2008

- Charles Baudelaire

“A lua, que é a própria imagem do capricho, olhou pela
Janela enquanto dormias em teu berço, e disse consigo,
Mesma: – ‘Esta criança me agrada.’
E desceu maciamente a sua escada de nuvens, e
Deslizou sem ruído através das vidraças. E pousou sôbre ti com
Um suave carinho de mãe, e depôs as suas côres em tuas
Faces. Então, tuas pupilas se tornaram verdes, e tuas faces
Extraordinàriamente pálidas. Foi contemplando essa visitante
Que os teus olhos se dilataram de modo tão estranho; e
Ela com tão viva ternura te apertou a garganta que ficaste,
Para sempre, com o desejo de chorar.
Entretanto, na expansão da sua alegria, a Lua invadia
Todo o quarto, como uma atmosfera fosfórica, como um peixe
Luminoso; e tôda esta luz viva pensava e dizia:
- Tu sofrerás eternamente a influência do meu beijo.
Serás bela à minha maneira. Amarás o que eu amo e o que
Me ama: a água, as nuvens, o silêncio e a noite; o mar
Imenso e verde; a água informe e multiforme; o lugar onde
Não estiveres; o amante que não conheceres; as flôres
Monstruosas; os perfumes que fazem delirar; os gatos que
Desmaiam sôbre os pianos e gemem que nem as mulheres, com
Uma doce voz enrouquecida!
‘E tu serás amada pelos meus amantes, cortejada pelos
Meus cortejadores. Serás a rainha dos homens de olhos
Verdes a quem também estreitei a garganta em minhas
Carícias noturnas; daqueles que amam o mar, o mar imenso,
Tumultuoso e verde, a água informe e multiforme, o lugar onde
não estão, a mulher que não conhecem, as flôres sinistras
Que sugerem incensórios de alguma religião ignota, os
Perfumes que turbam a vontade, e os animais selvagens e
Voluptuosos que são os emblemas da sua loucura.’
E é por isso, maldita e querida criança mimada, que
Estou agora prosternado a teus pés, buscando em tôda a tua
Pessoa o reflexo da terrível Divindade, da fatídica madrinha,
Da ama-de-leite envenenadora de todos os lunáticos.”

Maurice e Jasmin para adoção

18 . 09 . 2008

Em 21 de junho uma amiga minha que trabalha num projeto lindo chamado Bicho no Parque doou 2 gatinhos (Maurice e Jasmin) para uma pessoa que parecia a adotante perfeita. Apartamento telado, ração Royal Canin, a família sempre teve gatos…

Eles se adaptaram numa boa, mas a adotante, não. Desde a adoção minha amiga recebia relatórios de que eles quebraram isto, que custou não sei quanto; que vomitaram naquilo, que foi comprado não sei onde; que desfiaram a cortina, que nem foi paga ainda; etc etc etc. Notícias boas, felizes, eram uma tremenda raridade… Enfim, minha amiga descobriu que eles até apanhar apanharam – e bastante.

Estão volta para adoção o tímido e falante Maurice e a superdoce, oferecida e, sim, estabanada, Jasmin. Estão aqui na minha casa como lar transitório (LT), mas precisamos urgentemente de divulgação desses dois.

O Maurice é tímido no início, mas fica um doce depois que se acostuma à pessoa, quer colo, conversa bastante (responde mesmo). É brincalhão, gosta de altura, mas é calmo. Tem 2 anos, está castrado, vacinado e microchipado.


A Jasmin é peluda, com pêlos entre os coxins (as almofadinhas) dos pés; é supercarinhosa e carente. Gosta muito de gente. Tem 1,5 ano, está castrada, vacinada e microchipada.

Os dois se ignoravam, ao serem adotados juntos, ficaram super companheiros, de um ir aonde o outro estava o tempo inteiro. A adoção de ambos juntos seria legal, mas não imprescindível.

Quem puder ajudar na divulgação, adoção, por favor, entre em contato, ok?

Obrigada.

Pânico

13 . 09 . 2008

Foi do caralho.


Conhecer um dos meus maiores ídolos, o Emilio, foi surreal. E ele é tudo aquilo que aparenta ser. Em uma palavra: genial. E em outra: gentil. O que pra mim, na verdade, é faux-pas. Os exemplos estão aí pra quem quiser conferir. Uma pessoa que não trata as outras pessoalmente (sim, pessoalmente. Porque sim, faz toda a diferença, mas nem é o caso explicar isso aqui) com gentileza não pode ser genial. Sim, a pessoa pode ser muito inteligente e hmmm… não-gentil (ingentil? seria uma boa palavra). Mas nunca, nunca, não importa o quanto ela tente ou acredite, vai ser genial. Sim, esse preceito é universal e mais antigo que andar pra frente. E sim, é um preceito eterno e indissolúvel, não importa o tanto que se tente espancá-lo.

Enfim. Pra quem não ouviu, dá pra baixar o mp3 daqui.

Tem cinco partes no youtube também.
Parte 1.
Parte 2.
Parte 3.
Parte 4.
Parte 5.

fada-madrinha

12 . 09 . 2008



Eu sou fã da Rosana Hermann desde o blog Farofa. Sempre acompanhei tudo o que ela fazia, e a cobertura do Big Brother que ela fez foi uma puta inspiração pro Big Bosta.

Foi a Rosana uma das primeiras a linkar o Te Dou um Dado?, gerando uma porrada de visitação. Foi ela quem me indicou pra Gisela Rao, que me indicou pra Clarissa Passos, e por causa disso eu tô escrevendo matérias “sérias” pro iG.

Eu chamo a Rosana de fada-madrinha por isso e por tantas outras coisas, adoro o que ela faz e COMO ela faz, principalmente. Foi ela quem adotou a Laika Virgin, e fez com que ela (a Laika) deixasse de ter medo de trovão e de fogos. Só com carinho. Daí você como essa pessoa é foda.

Esse post é um agradecimento, com uma vontade imensa de que tudo dê muito certo na sua vida, Ruiva, num crescendo de sucesso e de felicidade, pra sempre.

Obrigada por tudo.

Lele